Jump to content

Junior Stos

Members
  • Content Count

    15
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

7 Neutral

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. A adm após certo tempo, passou a apagar os vídeos do KN após um pequeno tempo, parece que por medo de constituir provas contra eles mesmos. Há promessas não cumpridas, conversas e desconversas. Gostaria que a adm fosse mais transparente e inspirasse confiança ou invés de incertezas. Estou aberto a uma nova conversa, se realmente eles acharem importante. Estou segurando pessoas no Ragnarok pela amizade, ou melhor estou tentando segurar com todas as minhas forças e argumentos. Porém, do jeito que tudo está sendo administrado, está complicando cada vez mais as coisas e essa desculpinha de que "todo mundo quer ver sua classe meta, então não dá pra trazer tanta coisa..." já não cola, pois vemos classes com excessos e classes com faltas. É notório. Isso é querer melhorar o jogo? Não temos mais a liberdade de jogar com a classe que gostamos, como demonstrava ser a filosofia do jogo antigamente? A maioria (não disse todos) se ver obrigada a jogar com outra classe por ser modinha, devido a imposição da administração que determina quem vai se sobressair sobre quem através de itens exclusivos lançados por ticket, ROP's ou pelo que eles quiserem, atendendo assim a um público minoritário que se diz representar o todo.
  2. Já foi discutido isso em Kafra News passados, mas a Staff demonstra fazer vistas grossas. A classe não é do interesse deles, pois quem dá dinheiro, mesmo na ilegalidade, é quem tem as demais classes. Estas sim precisam ser meta para gerar mais zeny e fazer rodar o jogo seja na compra de itens ou em vendas ilícitas.
  3. Muito bem @Basära Rômani, endosso esse pedido! Como jogador e amante do Ragnarok, especialemnte da classe, espero muito que estas solicitações sejam atentidas, pois a classe continua jogada às traças, vez que, toda semana vem equipes muito bons para as demais classes (com excessão das expanded, porém os músicos não são expanded) e quando vem de trovador e/ ou musa é algo que não altera tanto se comparado à realidade do jogo.
  4. @Magnatrom disse tudo! Essa falta é sentida por muitos de nós e, com certeza, pelos seus amigos que pararam de jogar também. Mas eles, assim como os meus e de vários outros jogadores, não enxergam tanta melhoria assim, pois o individualismo no Rag não tem tanto poder atrativo assim. Gostaria que o Ragnarok continuasse sem B.O.T.s, eu odiava vê-los correndo e telando soltos pelos mapas, mas, se fosse pra permultar, eu escolheria a volta dos B.O.T.s em troca do jogo "equilibrado", com instâncias legais e possibilidades de aventuras com recompensas realmente úteis, ao contrário dos ROPs que superam e desanimam toda e qualquer instância ou quest atualmente, incluíndo a chefênia, pois temos itens muito superiores às cartas MvP, pelo menos a maioria delas. A staff parece querer demonstrar aproximação com os clientes, mas a prática não se configura bem assim: no Ragnarok não tem apenas uma ou outra classe ou só jogadores PvE. E sem essa de que "não dá para agradar a gregos e troianos" para usar como desculpa pelo trabalho feito pela metade! O Ragnarok foi pensado e feito por inteiro. Se todos observarem bem, e não se prenderam apenas às teorias das habilidades ou classes em si, dá sim para ter um balanceamento decente, fazendo jus ao signifcado real da palavra e indo além da mudança de efeitos visuais e buffs gerais em cima do que já existe (desbalanceado). Achar que algumas classes terem vantagens ilimitadas sobre outras é a melhor solução, só termina por assinar o atestado de preguiça ou acomodação por parte dos administradores. Note que quando falei equilibrado, ateriormente, usei aspas, já que com B.O.T. (não entendi pq não pode falar essa palavra aqui no fórum) não há equilíbrio e foi a única ilegalidade suprimida até o momento. Porém, a administração trocou um desequilíbrio por outros muito piores: a falta de opcão e de cooperação entre os players, o desbalancemanto das classes e seus equips - onde certas classes têm coisa demais e outras de menos, o pay-to-win ilimitado, a demora nos updates, a desvalorização rápida e exagerada dos itens forçando os players a comprar novos ou desistirem de jogar, e, principalmente, a sensação (para não dizer conclusão) de que a vantagem impera sempre e apenas para quem se usa de certos meios e métodos ditos ilegais pela própria desenvolvedora.
  5. Com certeza vc também foi produtivo pra mim @Chihaya Kisaragi!! Obrigado pelos comentários! Se você puder ajudar nessa luta para um verdadeiro balanceamento - e não uma mera mudança na mecânica, skills e comportamentos para no final deixar tudo como está - será muito bem-vindo. 😊 O bom mesmo seria que a staff do BRO também buscasse aprender um pouco mais sobre a WoE na prática (não é a mesma coisa que na teoria), para entender a real situação do rag nos horários do evento e poderem adotar medidas mais assertivas.
  6. É sabido que a classe terá um up por cartas, eu e muitos amantes da classe não vemos a hora... Quanto a versatilidade é boa para PvE não-MvP (digo os mais fortes - antes que alguém comente algo), porém em PvP ou WoE o dano alto mesmo que específico a um elemento é mais vantajoso que uma versatildade sem dano ou com dano mediano. Mas não quero me prender ao ataque direto, como vc citou o renegado, esta classe mesmo sem dano massivo tem um poder de "troll" incrível, que em muitas situações se mostra melhor do que qualquer dano. Ah, sim! Vc não é só um player. Vc é um player, importante como todos os outros!
  7. Eu concordo com você sobre os SA, mas sabemos que é uma classe diferenciada. Quem optou por seguí-la sabia das dificuldades, da defasagem no hp/ sp etc. Já quem faz bardo ou odallisca sempre soube que trilharia a mesma rota das demais classes primárias, investiria o mesmo tempo e seguiria caminhos paralelos (não os mesmos). Quem realmente gosta da sua classe, enquanto estiver no ragnarok, vai continuar jogando com ela. Mas também quem realmente gosta e ao ver tantos obstáculos insuperáveis, quando se cansar, não vai escolher outra classe, vai parar de jogar. Não é saudável se manter parado no tempo enquanto o mundo ao seu redor gira e evolui. Melhor mudar, errar e refazer do que nunca ter saído do lugar.
  8. Os simpatizantes existem, diferentemente dos papa-modinha. O desafio com possibilidade de quebra de limites é maravilhoso, quando há essa oportunidade. Porém, não podemos nos esquecer de que existe o jogo PvE (contendo MvP) e o PvP (contendo especificamente a WoE), tendo ainda a consciência de que por mais que MvP esteja contido na parte PvE do jogo, não quer dizer que são exatamentne a mesma coisa, assim como acontece com PvP e WoE. Eu particularmente gosto do jogo como um todo, e da classe dos artistas em qualquer situação, talvez por isso não me limito a dizer que "se a classe está boa para PvE, está tudo ótimo". Como já falado, jogo desde a fase beta, antes da WoE existir e as classes 2-2 vieram depois principalmente para dar um UP nas guerras, porém, lá, os músicos não fazem praticamente nada em especial além do bragi e ficar AFK esperando o recall na Emperium para usar a guitarra frenética. Nada mudou até hoje nas clalsses 3, sem desculpas de ser classe suporte, já que o Arcebispo é uma classe genuinamente suporte e possui build de dano muito efetiva, por mais que estejam também escassos nas guerras. Quem curte PvE vai dizer que está tudo bem, pois, como PvE praticamente não há defeitos gritantes. O fato é que seja no Ranarok ou na vida real, em qualquer assunto, as pessoas têm o (mau) hábito de interferir no que não lhe cabe ou não é de seu total conhecimento (seja por falta de interesse ou gosto) negativamente. Dando um exemplo bem grotesco: Eu sou de um time A de futebol que vai bem, mas o futebol não está essa maravilha toda e o time B está com dificuldades. Então o time B propõe melhorias e deseja crescer de forma que muitos outros times também melhorem seu desempenho e os requalifiquem para uma boa competição, elevando assim o status do futebol como um todo, mas como o meu time está ganhando, eu voto contra. Nem me interessa saber o que de fato acontece ou se seria melhor, desde que o meu time esteja na frente. Como disse, sou tanto PvE como PvP, tento ver os dois lados e gostaria da ajuda das pessoas em geral, inclusive da sua ajuda, para juntos vermos o que podemos melhorar. Eu posso está contente com o que tenho no momento, mas vou ficar muito mais se o meu vizinho também estiver. Nem tudo é preto e branco ou preto ou branco. Temos o cinza e todas as demais cores!
  9. Corretíssimo @Magnatrom!! Lembrando que a capa é ótima pra PvE! Ficou show, mais até pra musa do que pra trovador, devido ao boné de asinhas.
  10. Correto! E isso tudo ainda se soma ao fato de que as armas lvl 4 de trovador nunca excedem a 2 slots, limittando mais anda o uso da Alma de Trentini ou da Alma de Alphoccio. Ótimo desafio! Mas, na atual conjuntura, seria impossível aceitá-lo e superá-lo ou até alcançá-lo. Mesmo o artista sendo o dono inato das skills, não possui atributos ou equipamentos que lhe deem a oportundade de atingir desempenhos máximos.
  11. O assunto discorrido no dia se ateve aos músicos amigo. Mas creio eu que fazer tópicos com sugestões e apresentar uma visão geral dos jogadores de cada classe seja sempre válido. Muito obrigado pela sua disposição em ajudar! Quanto às skills eu já li e traduzi mentalmente. Foi com base nos escritos que mencionei o fato no tópico: tem poucas mudanças, basicamente um repeteco do que já conhecemos, com exeção da Rose Blossom, que pelo menos em sua descrição parece ter um efeito diferenciado para a classe. Não foram, pois no próprio KN foi informado que não há previsão de vir o rebalance para o BRO. Então a sugestão foi que fossem expostos motivos e justifiicativas para que, sem pedidos de novos equipamentos ou de rebalance, se pudesse discutir junto à Gravity uma forma de "desnerfar" os bardos, odaliscas e evolução. Estamos todos ansiosos e esperançosos. Porém, como já citado e constantemente falado no KN, não há previsão. Isso mesmo! Acredito que ao redefinir as armas Rubi, a Gravity irá benenficiar não só aos músicos, mas a todas as classes que lidam com danos físiicos e mágicos! Opa! Você poderia me passar a fonte dessa informação, por favor? Gostaria de ver as capas. Muito bem lembrado!! As armaduras são de fato usáveis. A carta Faraó não é das mais baratas, mas ajuda bastante. Já a Pluma Negra cai naquele assunto citado no texto onde os equipes "emprestados" surtem efeito muito inferior quando não usado pela sua classe de origem. Quanto ao arco demoníaco, sem dúvidas é um bom arco, porém, a skill de arco do Trovador e da Musa é o Temporal de Mil Flechas que tem recarga bastante alta sugerindo o arco ancestral ou o arco das tempestades como melhores opções. Perfeito! Concordo plenamente. O problema mencionado no texto é que nas habilidades dos artistas não há um equilíbrio entre bônus e fatores limitantes, pois, você encontrará em uma mesma habilidade tantas restrições ou limites que prejudicam a sua fluidez em vários ângulos diferentes e confrontando com tímidas bonificações. Não é algo compensatório como, por exemplo, se a skill tem conjuração fixa e pós, não tem animação, muito pelo contrário, tem conjuração fixa, pós conjuração, consumo alto de sp e uma animação que não sai nem com reza braba. E, em alguns casos, ainda é acrescentada uma recarga alta. Isso mesmo! O importante é lutar até o fim. Confesso que às vezes o ceticismo tenta se apossar da minha pessoa, mas aí eu penso: "se eu não acreditar, ficarei de braços cruzados. Se cruzar os braços, as chances de algo acontecer ao meu redor tenderão à zero. Os problemas nós já temos, então é muito mais produtivo buscar por uma solução!" Parabéns pelos seus conhecimentos, meu caro! Vamos torcer juntos!! São muito anos de Ragnarok. O tempo passou, me formei, casei, tenho meus filhos e continuo acreditando que o jogo pode e vai melhorar cada vez mais, assim como a relação player-administradora-desenvolvedora. Prefiro ir pelo lado otimista e pensar que todos terão a sua chance. Será que acredito em Papai Noel? Talvez, quem sabe ele realmente não exista sem a roupa vermelha e com outro nome? 😋
  12. De Volta à Partitura Prelúdio Este texto foi elaborado com a soma de muitos anos de experiência, discussão e pesquisa, e viabilizado através do Kafra News, onde o Rufio sugeriu a confecção do mesmo, mostrando a insatisfação dos jogadores, ao mesmo tempo justificando o porquê da melhoria na classe dos artistas e retirada dos nerfs já impostos para que a equipe da Warpportal Brasil/Level Up passe a interceder junto à Gravity. Muitos (muitos mesmo!) amantes da classe contribuíram com sugestões e um denominador comum foi criado com uma pequena interseção de tudo o que foi abordado. Não vou citar todos os nomes, pois posso me esquecer de alguns. Então, agradeço a TODOS pela força, em especial ao :Artista: e à RainhaCat que muito incentivaram para que este documento fosse produzido e publicado. Peço desculpas pelos assuntos que não foram citados, mas, como já dito a cada um, o nosso foco é trazer de volta à ativa uma classe tão querida e ameaçada de extinção devido ao caminho adotado para o jogo que a deixou de fora após tantas mudanças ocorridas. Garanto que tudo está anotado e será usado a medida em que for abordado. Dissonância Uma certa quantidade de pessoas, independente da classe que joga, alega não conseguir acreditar na seriedade da empresa desenvolvedora do Ragnarök e, quando não se mostram desanimadas, dizem que vão parar de vez com o jogo. Talvez, nem todos os casos sejam verdade, mas o fato é que existe a conversa e as desilusões. Também em fóruns internacionais (ex.: forums.warpportal.com), muito frequente, se vê debates sobre o assunto, com apelos e pedidos à Gravity, especialmente sobre Bardos, Odaliscas e evoluções. Vemos neste texto uma oportunidade de nos expressar e de a Gravity mostrar aos seus clientes que preza pelos mesmos e não exala tal indiferença, como é constantemente comentado em discussões sobre o Ragnarök. A classe de Músicos está muito defasada em relação às demais classes e ao Ragnarok em si. A vertente masculina se resumiu à uma única habilidade adquirida na classe 2-2: o Poema de Bragi, a feminina tem seus bônus um pouco maiores, mas não são requisitadas para grupos a não ser que seja para usar o dueto do Baquete de Njord. Em testes práticos, os artistas perdem de longe das demais classes seja em níveis equivalentes se compararmos com as demais classes 3 ou até com algumas involuções das mesmas. Por exemplo, ao fazer uma comparação de um Trovador ou uma Musa com certas classes 2-1 ou 2-2, sendo transclasse ou não, podemos ver que o fato de investir na classe, o tempo gasto, up, renascimento (reborn) parecem não ter valido tanto a pena para os Músicos. Por mais que se diga que a “a classe foi feita pra ser suporte e deve continuar assim”, não é justificativa, muito menos se enquadra no cenário e desenvolvimento do Ragnarok. Um grande exemplo disso, é a classe de Arcebispo que é “A SUPORTE” e tem habilidades destrutivas totalmente funcionais ao se enveredar para o lado do Exorcismo, sem perder os auto-buffs. O Guardião Real (Templário) também, foi inicialmente criado para Tank/ Defesa e tem uma efetividade imensa como killer ou mesmo breaker, na WoE. O Feticeiro tem a sua build de suporte, porém, consegue dar altíssimos danos com uma build caster, e por aí vai. Lembrando que as classes MTK e Espiritualista são expandidas (não se investe tanto tempo para atingir os mesmos níveis de desenvolvimento) e suas evoluções já foram implantadas (não no BRO), elevando-as ao mesmo patamar das demais classes, com exceção das evoluções de Bardo e Odalisca. Concentração Existem opções de builds bem distintas para cada classe, porém para os Músicos, pode-se até mudar aleatoriamente um ou outro atributo. Tamanha a falta de opção, as habilidades investidas são praticamente as mesmas, diferenciando apenas pelo gosto aleatório de cada um ou uso como requisito para outra. Outro fato é que não há tanta efetividade assim nos Músicos que, a grosso modo, são vistos pela maioria como uma classe que, por mais que se invista, não passa de uma classe 2 com mais hp e sp, até as habilidades novas são repetecos das antigas: deveriam fazer a diferença, mas não têm o brilho, a atração ou efetividade que as das demais classes 3 (ou evolução das expandidas) têm. Seja em PvP, PvM, WoE ou MvP, os Artistas estão muito aquém, ao se comparar com as outras já criadas em termo de performance geral, a começar pela falta de opção para equipamentos, quer sejam armas, armaduras etc. Em uma simples brincadeira contra qualquer classe para ver quem ataca/ conjura primeiro (não estamos apenas falando de matar primeiro) os músicos SEMPRE perdem. A necessidade atualmente é de uma classe que de fato tenha builds para o player trabalhar, se dedicar e ver resultados significativos : se suporte, que possa se sustentar, ter skills eficientes de fuga e apoiar os aliados com mais habilidades além do “querido” Poema de Bragi; se for uma build de ataque, que tenha a oportunidade de lutar, vencer ou perder como qualquer classe, de levar MvP como era na época em que foram implantadas as transclasses, onde uma Cigana ou Menestrel bem feito não devia nada para um Atirador de Elite, um Criador, um Lorde, um Shura entre outros. O que faz surgir a questão de “até que ponto a aura verde, dos MvPs, será útil?”, pois somente classes de dano alto serão beneficiadas, descartando mais uma vez as Musas e Trovadores. Dos primórdios do Ragnarök até um tempo depois do episódio Heritage, a competição era acirrada, inclusive no PvP e WoE. TODAS as classes de nível semelhante tinham vez, e mesmo que fossem derrotadas por uma classe "X”, derrotava a classe “Y” que por sua vez derrotava a “X” e tudo se equilibrava. Derrotar, não precisa ser mega-over-power e dar ik em todo mundo, como supra citado com exemplos de builds, mas se esquivar/ fugir, zerar o hp em 1, 2 ou 3 tentativas, zerar o sp, imobilizar o adversário ou dar debuffs consideráveis, tankar, impedir que algo “ruim” venha a ser feito e se buffar também de forma efetiva. Ou seja, são muitas as opções que se pode trabalhar uma classe. As classes no Ragnarok em si vêm sendo bem trabalhadas, mas a impressão é de que a classe de músicos é uma exceção. Todos conhecemos pelo menos uma pessoa que gosta da classe de paixão, mas que parou de jogar o Ragnarok exatamente por causa desse aparente descaso, outras pessoas que jogam de suporte com outra classe por falta de opção, sem muita empolgação no jogo, e conheço outras ainda que quase não logam nem sentem vontade de investir no jogo, mas esperam um dia em que tudo isso vai mudar e poderão voltar a jogar com seus músicos sem a sensação de inutilidade, baixo desempenho independente do seu esforço e sensação de abandono por parte da desenvolvedora. Murmúrio Perene Agora, voltando às habilidades e desempenhos, vemos que a classe de músicos precisa de um olhar especial. Outro fato que evidencia a atenção diminuída à classe são os sprites, pois vemos que cajados, espadas, escudos etc., mudam o sprite nos personagens, enquanto que, por exemplo, no Trovador sempre vai aparecer um bandolim sendo tocado, independente se o personagem esteja fazendo uso de violino, viola, guitarra, flauta, arco, adaga, concha, harpa, gaita, apito, piano, bateria, teclado, órgão... O sprite de Temporal de Mil Flechas que o diga: sendo atualmente lançado apenas por arcos, mas vemos uma animação de personagens com chicote ou bandolim. Esta situação do sprite não altera em nada no desempenho do jogo, apenas foi citada por ter sido muito comentada em diiscussões informais. Analisando até as habilidades das classes 4 que ainda não foram implantadas (deixando os Músicos de fora mais uma vez, pelas informações já divulgadas via internet), todas as classes recebem habilidades com efeitos novos significativos. Aparentemente, Troubadour e Trovere recebem basicamente as mesmas habilidades que já possuíam com novos nomes, mesmos efeitos (às vezes com duração ou recargas diferentes). O que muda? Não há criatividade? Os desenvolvedores são tão inteligentes que criam efeitos, poderes, habilidades novas a partir até do que não existe! Por que quando chegam na classe de músicos tudo se esgota? A música em sim nem é muito trabalhada: ouvimos os sons, mas não passa disso. Poderia se trabalhar com a velocidade do som, com o efeito de hipnose, com controle dos sentimentos, perturbação mental, controle dos elementos, vibração etc. A música é muito mais poderosa do que se imagina e nem precisa estudar tanto para se saber disso. Outra coisa que poderia se trabalhar: o som em si não se propaga no vácuo, logo a habilidade Escudo Sagrado poderia barrá-la facilmente ou mesmo o uso de um “isolante acústico”. Já a vibração penetra em toda e qualquer célula com efeitos curativos ou devastadores, esta poderia ter um caráter voltado para a magia. Tudo deve ter seus prós e contras. Toda habilidade precisa de um “calcanhar de Aquiles” para que não haja uma vantagem insuperável sobre todas as demais classes. Bem, o que acabei de citar foram só meros exemplos para se trabalhar uma classe tão boa, tão apreciada por muitos, mas que se encontra esquecida pela desenvolvedora cheia de colaboradores inteligentes e criativos. Se assim não o fosse, o jogo não teria sido criado. Caso aceitem, estão aqui algumas humildes sugestões. Grito de Liberdade É sabido que, para os nossos Artistas do Ragnarök, não há uma gama de equipamentos ou opções dos mesmos dentro do jogo. Existem itens principais como o Anel de Esmeraldas - que ajuda mais nas skills Rajada de Flechas e Chuva de Flechas, de classe 1, do que no próprio temporal em si, que não chega a ser um item endgame, mas tem funcionado; as armas Ancestrais (Violino/ Concertina e Arco) - considerado por muitos as melhores armas atuais para a classe, mesmo não extraindo o máximo das habilidades dos músicos; os Tamancos Glamurosos - não apreciados por alguns devido à sua comparação com os calçados de mesma categoria voltados para outras classes; a Jaqueta do Orgulho - que, assim como os Tamancos Glamurosos, têm seus buffs ativados sob determinadas condições, porém, eles ainda não são suficientes para nivelar à classe junto aos seus companheiros de aventura; e Fones Alados - Estes têm um papel importante para a habilidade Ruído Estridente, porém, seu uso termina por limitar os Artistas à skill citada, vez que perdem equipes que poderiam viabilizar uma boa utilização de outra habilidade como alternativa, tomando dois espaços na cabeça. Ainda assim, o que geralmente acontece, é que um ou outro player esperançoso e ousado pegue equipamentos “emprestados” de determinadas classes para tentar arrumar o que não deveria estar tão bagunçado. Isso não dá muito certo, pois o máximo potencial da classe nunca será explorado como as demais, sempre deixando algo a desejar. Nem mesmo as cartas MvP de Bio 5 (Trovador Alphoccio e Musa Trentini) têm uma boa eficiência em uma comparação geral, pois enquanto que estas dão apenas uma porcentagem fixa em hp e sp, não tendo influência direta em nenhum efeito de nenhuma skill dos Músicos, as cartas MvP das demais classes dão aumento direto em ataque (físico, mágico, crítico ou a distância), defesa (física ou mágica), suporte (efetividade de cura) ou mesmo velocidade de ataque. Então, já que não há itens, armas nem armaduras variadas e específicas, que sejam repensados todos os nerfs, bloqueios e fórmulas que atrapalham o bom desempenho de quem curte jogar de Trovador e/ou Musa. Ainda se leva em conta que os equipamentos das outras classes são de altíssima eficiência, com danos e buffs absurdos. Esses itens deram nova vida a certas skills (algumas nem eram mais utilizadas em jogo) de maneira tal que, em não raros casos, o seu uso priva qualquer chance de cura ou revide aos seus adversários, sendo os maiores pivôs do desbalanceamento, vez que “uns têm tudo e outros nada”. A exemplo temos os recentes itens: os anéis da Égide, do Guardião Real e o Anel Obscuro do Algoz (que há pouco já havia recebido o Anel do Rei Abissal), que têm mais valia do que uma carta de MvP ou duas ou três juntas. Uma carta MvP, até então, seria o item mais cobiçado do jogo. O player quer ter, ver e exibir um troféu, fruto de suas conquistas. Apenas comprar diretamente equipamentos que são melhores que os próprios “troféus” não fazem sentido em um jogo, que logo se tornará enfadonho, sem motivação e sem vida. Daria para falar de cada classe, mas o texto iria se estender demais, porém, a situação é totalmente visível para quem tem a prática de jogar Ragnarök. Os músicos não possuem nada de significativo, nem para ataque físico, nem para ataque mágico, nem para defesa física, nem defesa mágica, nem para qualquer outro atributo que venha a existir. São inúmeras as desvantagens que dificultam a jogabilidade e competitividade da classe aqui evidenciada em relação ao jogo inteiro. Desta forma, através de pesquisas, bate-papos, postagens e discussões, podemos compactar, listar e apresentar os principais pontos de interseção e mudanças emergenciais para a melhoria dos Trovadores e Musas do nosso querido Ragnarök. Para um leigo pode até parecer que este texto esteja bastante exigente, mas, pelo contrário, como já mencionado aqui, foram selecionadas as partes mais gritantes e observadas pelos jogadores atuantes e AFKs (esperamos que por pouco tempo), considerando que para uma classe que está presente há mais de 15 anos no Ragnarök e o seu desempenho em relação às outras, o que está sendo apresentado é um resumo com os pontos mais importantes já discutidos e, assim, faz-se o apelo para a desenvolvedora rever seus conceitos e atender as necessidades de seus clientes: Destino das Cartas Ser possível utilizar a skills novamente. Melodia de Morfeu Atualmente a fórmula desta skill não consegue alcançar 100% de chance em monstros ou players, deixando-a assim pouco confiável na prática. Desta forma propomos a seguinte solução: Que na fórmula de chance de aplicar o efeito seja acrescido os atributos de INT e DEX, no intuito de tornar possível alcançar por volta de 50 a 70% de chance juntamente com o nível da habilidade, tornando assim a classe muito interessante para controle de alvos múltiplos. Canto da Sereia Atualmente a fórmula desta skill não consegue alcançar 100% de chance em monstros ou players, deixando-a assim pouco confiável na prática. Então propomos a seguinte solução: Que na fórmula de chance de aplicar o efeito, assim como para a melodia de morfeu, seja acrescido os atributos de INT e DEX, no intuito de tornar possível alcançar 50 a 70% de chance juntamente com o nível da skill, tornando assim a classe muito interessante para controle de alvos múltiplos. Brado de Odin Ela se encontra no mesmo molde do Irowiki, porém, ela não possui sinergia com as outras skills, deixando uma build com foco nela muito prejudicada, vejamos: Ela possui muito tempo de recarga, considerando que pode ser apenas utilizada com outro personagem artista no grupo dificultando assim o uso frequente da skill. A solução que propomos seria: 1- Habilitar o uso da skill sem precisar haver outro artista no grupo. 2- Reduzir a 0 a recarga da skill. 3-Consertar o bug: a quantidade de Artistas no grupo não está aumentando o dano. Improviso É uma habilidade pouco confiável, pois além de possuir seus temporizadores de skill, ao lançar a skill aleatória ela também respeita o temporizador da skill aleatória. Ou seja, fica quase que impraticável a utilização desta skill, assim, sugerimos a seguinte solução: Que o tempo de recarga da skill seja reduzido em 1 segundo. Que os temporizadores das skills aleatórias que são lançadas tenham suas conjurações fixas e variáveis reduzidas a 0. Vulcão de Flechas Todos multiplicadores que afetam a skill estão defasados. Atualmente ela está dessa forma no nível 10: Dano%: 1.200% Conjuração Fixa: 0,76 segundos Conjuração Variável: 3,04 segundos Pós-Conjuração: 2 segundos Animação: 2 segundos Comparando com o Vulcan Arrow do Irowiki percebe-se que tentaram arrumar a skill: Dano%: 1.500% Conjuração fixa: 0,5 Conjuração Variável: 1,5 Pós-Conjuração: 0,5 Recarga: 1,5 segundos. Podemos perceber que o dano foi aumentado em 300% e também que foram resolvidos o excesso de cast fixo, variável e a pós-conjuração, e fizeram um ponto muito positivo de terem tirado a animação da skill, porém foi acrescido recarga de 1,5 segundos. Travando mais uma vez a skill. A Solução que propomos é que a skill fique nestes moldes: Dano%: 1.500% Conjuração fixa: 0,5 Conjuração Variável: 1,5 Pós-Conjuração: 0,5 Recarga: não ter Animação: Acompanhar a velocidade de ataque, assim como a Bomba Ácida que perde a animação quando fica com Conjuração Instantânea, ou que pelo menos fique igual ao Chilique de Picky que é possível arremessar outra skill enquanto a animação da primeira ainda está batendo. Hoje, só é possível usar uma outra skill, ou mesmo repetir a skill vulcão de flechas, apenas após a animação da habilidade finalizar. Flecha melódica Todos multiplicadores que afetam a skill estão defasados. Atualmente ela está dessa forma no nível 5: Dano%: 250% Conjuração fixa: 0,3 Conjuração Variável: 1,2 Comparando com outro servidor percebe-se que tentaram arrumar a skill: Dano%: 310% Conjuração fixa: não têm Conjuração Variável: 0,5 Pós Conjuração: 0,3 Podemos perceber que o dano foi aumentado em 60% e também foi removido a Conjuração fixa e diminuído expressivamente o Conjuração variável. Além disso foi acrescido a pós conjuração de 0,3. A Solução que propomos é que a skill fique nestes moldes: Dano%: 310% Cast fixo: não têm Cast Váriavel: 0,5 Pós Conjuração: 0,3 Colocar a animação da flecha melódica vinculada a velocidade de ataque, assim como funciona a animação da skill lâminas de loki. Ruido Estridente Ela se encontra no mesmo molde do Irowiki, porém ela não possui sinergia com as outras skills, deixando uma build com foco nela muito prejudicada, vejamos: Ponto1: possui uma recarga muito grande, inviabilizando o seu spam, fazendo com que o player precise de uma skill secundária para utilizar enquanto não pode usar o Ruído Estridente novamente. A única skill viável seria a ressonância pois ela possui parte de seu dano mágico. Porém ela é uma skill de armadilha o que não é funcional em uma caçada de aumento de nível, muito menos de MVP. Ponto 2: Ela sempre possui dano neutro, ficando muito aquém das outras classes mágicas que possuem elementos variados em seu dano. Ponto 3: Ela não possui atributos na fórmula de dano, deixando-a mais uma vez em desvantagem em comparação com outras classes mágicas. Aqui cito com exemplo, onda psíquica, dos feiticeiros, e impacto espiritual, dos arcanos, ambas as skill entram o atributo INT na formula, deixando-o assim em uma vantagem muito grande na ativação de itens com encantamento de epifania, por exemplo. A solução que propomos: Atualmente o equipamento Jaqueta do Orgulho, quando colocado no nível 5 de canção de Frigga, proporciona Velocidade de ataque +10% e Recarga de Ruído Estridente -0,2. Nossa proposta é que fique da seguinte forma, a cada nível de Canção de Frigga o personagem receba +2% de velocidade de ataque e -0,4 de recarga de ruído estridente. Que os fones alados passem a ser apenas equipamento de topo ou apenas equipamento de meio, pois, com tantos itens de outras classes com altos poderes destrutivos, a mudança aqui proposta não terá carácter algum de desequilíbrio no jogo, muito pelo contrário. A outra mudança que propomos seria que o dano do Ruído Estridente seja neutro, porém baseado no elemento da flecha ou no elemento da arma que esteja equipada. Ou seja, se ele usar uma flecha de fogo, o elemento da magia seria fogo, muito próximo do que acontece com os danos físicos que ficam no elemento da arma utilizada ou mesmo da flecha. Por fim, propomos que o atributo INT e/ou DEX seja incluído na fórmula de dano da skill. Ressonância Ela se encontra no mesmo molde do Irowiki, porém ela não possui sinergia com os outros equipamentos, deixando uma build com foco nela muito prejudicada, vejamos: Vamos começar falando do violino ancestral, que no refino +12 apresenta as seguintes configurações: Ataque: 160 Ataque mágico: 190 Ataque mágico pelo refino +12: +60 Dano mágico Neutro pelo refino +12: +16% Dano de Ressonância e Ruido Estridente: +10% Combo com Botas Ancestrais: +20 de INT 15% Dano mágico. Essa é a melhor arma do tipo violino para a classe, pois possui nível 4 e tem 2 slots, e, atualmente, recebe 2 encantamentos. Perceba que ela tem uma forte tendência a dano mágico, sendo a melhor arma para usar as cartas Alma de Alphocio que aumenta em 60% do dano de ressonância se a arma for nível 4 e estiver refinada no +10. Agora analisando a skill em seu nível máximo, temos a seguinte situação: Ataque Físico: 800% Ataque mágico: 600% É possível perceber que o maior dano dela é baseado no ataque físico, o que fica completamente contraditório, vez que todos os itens que aumentam sua força são baseados em dano mágico. A solução que nós propomos: Que Domínio Musical aumente o dano da skill, a DEX faça parte da formula de dano físico e que a INT faça parte da fórmula de Dano Mágico. Que o dano mágico da skill seja com efeito de ignorar a defesa mágica ou que o dano físico seja fixo podendo tirar % do hp do alvo e seja “never miss”. Que haja um catalisador como uma pastilha elemental para que a habilidade seja sempre ativada em dano neutro (afinal a onda é produzida pelo instrumento e não por um item qualquer) e, ao usar a pastilha elemental, por exemplo, a habilidade assumirá o elemento da mesma. E como a habilidade se trata de ondas de alta frequência, poderia ser aplicado um status de “desorientação”, como medo, alucinação, forçado a sentar ou mesmo o coma, por exemplo, já que ao criar uma ressonância a fonte emite um som de frequência igual à frequência natural do receptor fazendo-os se contorcer, entrando em colapso e se destruindo. Temporal de mil Flechas Ela se encontra no mesmo molde do Irowiki, porém ela não possui sinergia com as outras skills, deixando uma build com foco nela muito prejudicada, vejamos: A skill em seu nível máximo possui essas características: Conjuração Fixa: 0,5segundos Conjuração Variável: 3,5segundos Recarga: 7 segundos Pós Conjuração: 1 segundo A skill possui um dano muito baixo, e tem um excesso de todos os temporizadores q estão vinculados a ela. A solução que propomos seria esta: Ser possível usar violino para usar a habilidade da skill. Desta forma seria possível utilizar o temporal de mil flechas em sinergia com outras skills, além do fato que, no meio do mob, quando se utiliza a skill todos os monstros vêm pra cima do seu lançador e o músico não tem def o suficiente para se manter vivo, às vezes mesmo com um Arcebispo ao seu lado. Então haveria a possibilidade do uso de pelo menos um escudo amenizando o fato. Que a fórmula de dano da skill seja Dano = {[(DES + AGI) × (Fator + 1 x Nv. da skill)] × (Nv. de base ÷ 100)}% Se a Skill For utilizada por Violino o dano seja dobrado. Parecido com a mecânica da habilidade Crux Divinum. Que assim como a skill Tempestade de Flecha, ela não tenha pós conjuração, possibilitando utilizar outras skill enquanto espera a sua recarga. Que assim como a skill de tempestade de flecha, o seu consumo de flechas seja reduzido para os mesmos números de flechas. Que assim como a skill de tempestade de flecha ela não possua Conjuração fixa. Que a recarga seja reduzida para 5,3 segundos. Possibilitando que o trovador possa usar outro temporal de mil flechas quando o efeito da primeira acabar. Caso ele use o arco ancestral ou arco da tempestade. Possibilitando também que a musa possa usar um temporal em cima do outro, caso use os arcos mencionados com o boné de asinhas. Válido lembrar que o boné com asinhas não é tão forte frente aos itens que encontramos hoje disponíveis no servidor, porém fica muito viável tê-lo para uma build de temporal de mil flechas com baixo custo e rendimento aceitável. Poema de Bragi, Crepúsculo Sangrento, Maçãs de Idun, Dança Cigana, Beijo da Sorte e Assovio Não há nenhuma explicação para o fato de os Músicos não poderem ouvir as próprias músicas. Se os mesmos fossem imunes, jamais poderiam se enfrentar. Teoricamente, toda música deveria ser em área, tomando toda a tela, fazendo grandes efeitos nos mais próximos e diminuindo com a distância. Assim propomos a seguinte solução: Efeitos de buffs das habilidades no próprio personagem que produz o som. Não me abandones Passe a funcionar em monstros normais e MvP, pois há restrição na skill. Habilidades de coral Arrumar a parte que melhora (bonifica) o efeito por quantidade de Artistas no grupo. ??? *Uma habilidade de mobilidade decente* A classe dos Artistas não tem mobilidade, não possui uma única habilidade que proporcione esse feito, sua locomoção é muito lenta e isso podia ser muito bem trabalhado usando as propriedades do som como fundamento, pois vemos classes que possuem velocidades ou formas de locomoção incríveis e realmente úteis, por exemplo, Propulsão do Carrinho, Propulsão Traseira e dianteira, Passo Etéreo, Pulo, Pulo do Gato, Corrida, entre outras, fora as montarias específicas de certas classes que combam com qualquer efeito de agilidade. Solução que propomos: Reaproveitar uma habilidade existente (como por exemplo, Canção de Balder – usando os poderes do deus detentor da sabedoria de Asgard- e Balada Sinfônica - unindo as mais perfeitas notas de um concerto), onde na descrição informa que, ao tocar a canção, o seu executor atinge a velocidade do som, e assim, acrescenta-se o efeito de forma funcional e atualizada. Equipamentos Rubi apresentarem Ataque mágico Podemos perceber que as armas sobrenaturais possuem uma certa equivalência com as armas rubi. Porém quando se trata das armas rubis dos artistas (instrumento musical e chicote) essa equivalência não existe. As armas sobrenaturais possuem ataque mágico básico e com o aumento do refino o ataque mágico aumenta proporcionalmente. Já no armamento Rubi, não possui ataque mágico, muito menos o aumento dele proporcional ao refino, por isso propomos que os armamentos rubi possuam ataque mágico básico e também progressão de aumento de ataque mágico proporcional ao refino, assim como são as armas sobrenaturais. Equipamentos que ignoram defesa Apesar da classe ser versátil em dano mágico e físico, ela não possui equipamentos q ignoram defesa, como bota do conjurador, bota do perseguidor, bota imperiais, botas robustas, sapatilha de algodão e etc. Desta forma, propomos que os tamancos glamurosos passem a ignorar defesa mágica e que o calçado seja remodelado com efeitos semelhantes aos citados acima e assumindo um valor correlato para a classe dos artistas. Que seja criado/remodelado um instrumento musical equivalente à Concertina de Arame[1]. Consumo de SP Todas as skills equivalentes às da classe Bardo/Odaliscas e suas evoluções possuem um consumo de SP bem menor, desta forma propomos que seja reduzido em 50% o consumo de todas as skill da classe. Propomos também que os tamancos glamurosos, Jaqueta do orgulho ou outro equipamento que exista ou venha a existir tenham o efeito de reduzir o consumo de SP, assim como o sapato Social ou Pluma Negra, entre outros. Encerramento Em uma observação mais detalhada e sempre se fazendo comparações com as classes do Ragnarök, conclui-se que a classe dos Músicos possui, em praticamente todas as suas habilidades, seja de dano ou de suporte, restrições (de uma só vez) que nas demais não existem ou aparecem de forma alternada ou mesmo, quando existem, romper seus limites é alcançável. As classes têm conjuração fixa e/ou variável em equilíbrio, de forma compensatória; recarga, em sua maioria não muito alta, e quando alta, existe algo que a elimine por completo. Já a classe de Musa e Trovador não possui (mais) uma skill fantástica com altíssimos danos e pelo contextto atual do jogo, a classe tem tudo o que impede ou barra as habilidades, não permitindo que haja o spamm e dano significativo, porém as classes outras têm suas skills com spamm e danos ou trolls elevados, a exemplo da comparação entre Temporal de Mil Flechas e Tempestade de Flechas, onde esta última tem um dano absurdo, ainda recebe buffs do Ilimitar, do Sentinela, gasta muito menos sp e menos flechas, e pode ser facilmente spammável, sem cast fixo; a recarga também é muito menor e ainda se vê que a skill “correlata” dos Artistas possui uma duração/ animação fora da realidade, sem mencionar o fato de que até o ano de 2012, antes do (des)balanceamento da época, a habilidade era muito mais eficiente. Outro exemplo comparativo dado, foi em relação às skills de dano físico e mágico que diferente das de Trovador e Musa, possuem never miss ou ignoram def dos inimigos e têm danos consideráveis. A falta de uma habilidade de locomoção eficiente também foi notada, assim como a necessidade de receber efeitos de suas próprias músicas, como o Poema de Bragi e a Dança Cigana. Salientando que, o objetivo deste texto não é tornar os Músicos mestres do jogo ou superiores a tudo, logo, as sugestões são válidas e pertinentes. Cabe à desenvolvedora avaliar como fará as melhorias e adequá-las de maneira a não causar mais desequílibrio em cima do que já existe nem mesmo compactuar com a disparidade atual. Por um apanhado geral e, sem mais delongas, percebe-se nitidamente e em caráter de urgência, que, para a classe dos Artistas, há a extrema necessidade de alteração nas fórmulas de dano, incluindo atributos, para ter skills never miss, que ignorem def , defm e ainda reformular os seus bônus, e que seja realizado o “desnerfamento” da classe, incluindo correções de bugs, trazendo de volta a sua funcionalidade, melhorando a jogabilidade e interesse por parte de quem se identifica com os personagens, de maneira a contribuir com o desenvolvimento do jogo de forma igual às demais classes, reinserindo-os no atual contexto do Ragnarok. Confiamos fielmente que as alterações sugeridas neste documento, ou mesmo a simples retirada dos nerfs implantados ao longo do tempo - levando em consideração a escassez de equipamentos voltados para a classe - trarão o desejado equilíbrio ao jogo devolvendo o lugar dos Bardos, Odaliscas e evoluções em seu devido patamar, ao lado das outras classes. Créditos ao bROWiki, iROWiki, Divine Pride, aos amigos ingame e cada player que, à sua maneira, acredita e contribui para um Ragnarok longevo e melhor. @Rufio [email protected]@'Lua
×
×
  • Create New...

Important Information