Jump to content

DiegoMaxuel

Members
  • Content Count

    38
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

18 Good

About DiegoMaxuel

  • Birthday 08/08/1992

Converted

  • Location
    São Paulo

Recent Profile Visitors

228 profile views
  1. O mangá é meu, o HQ é do meu amigo Sung Jin Woo SS , conhecido como Ícaro, não tem conta no fórum.
  2. Não deu muito certo, o bicho tá nervoso...
  3. Os gatinhos do tutorial de refino de Izlude sumiram, era do tutorial de forja...triste.
  4. @Pupi Obrigado, tá difícil convencer o clã a voltar, quem sabe... @kancers Essa informação é muito útil, dá pra deixar todos os chars bufados e depois vc loga em cada um deles que o tempo do buf fica em suspensão. Vou testar. @Danilo Illia Respondendo ao primeiro comentário não precisa da quest de Mora como requisito para receber o Pó de Fada. Tendo isso em mente, juntem todos os itens das quests seguintes em seu inventário e sigam pelo gato do teletransporte que eu havia indicado acima (aí vc vai gastar no máximo 2 vezes, um total de 110k de zeny). Mas eu gosto muito do labirinto da neblina, é uma boa opção pra ir fazendo enquanto não consegue enfrentar os monstros de aura verde, for fun, tem outras que dá pra fazer até vc conseguir os itens tops, siga esse macete: faça numa folha de papel A4 com sua própria letra e deixa do lado o mapa, fica muito menos cansativo do que ficar olhando a tela do smartphone, e marque de vermelho os portais que vc tem que tomar cuidado. Faça de forma física e que seja próprio, o cérebro consegue captar com mais facilidade quando agente faz com as próprias mãos. Além do for fun, não corre o risco de vc gastar seu dindin com os equipamentos que só são liberados para comprar com as moedas de Mora após terminar a quest, e que logam ficam ultrapassados, tem muita gente que se sacrifica e paga caro sem saber que dá pra comprá-los com facilidade completando a instância. @Danilo Illia eu vou testar os portais que vc falou ( na verdade nem sei onde ficam, vamos marcar um rolezinho em Eclage?kkk), pode ter outros meios realmente e mais fáceis, eu notei que na sala do rei tem um portal mas eu não entendo o por quê de eu não conseguir entrar. Além disso eu notei que de Mora para Eclage bastaria seguir a pé pelo Norte, mas eu não consigo passar pelo portal...
  5. Olá amigos, vamos aproveitar os bufs gratuítos do Rei Jun Kardui da cidade de Eclage? Eles duram 1h30min e são muito úteis para os iniciantes. Vamos à tabela semanal e aprender como funciona pra fazer a sua: 29/07/21: 00:15 02:05 03:55 05:45 07:35 09:25 11:15 13:05 14:55 16:45 18:35 20:25 22:15 30/07/21: 01:55 03:45 05:35 07:25 09:15 11:05 12:55 14:45 16:35 18:25 20:15 22:05 23:55 31/07/21: 01:45 03:35 05:25 07:15 09:05 10:55 12:45 14:35 16:25 18:15 20:05 21:55 23:45 01/08/21: 01:35 03:25 05:15 07:05 08:55 10:45 12:35 14:25 16:15 18:05 19:55 21:45 23:35 02/08/21: 01:25 03:15 05:05 06:55 08:45 10:35 12:25 14:15 16:05 17:55 19:45 21:35 23:25 03/08/21: vai depender de quando terminar a manutenção semanal, pegue o primeiro horário que por sorte você encontrar e some 01h50min e reconstrua a tabela, não adianta dar continuidade a essa (talvez eu edite futuramente). Lembrando que o rei Jun Kardui fica por 10 minutos. Agora a parte difícil: para você ter acesso genuinamente gratuíto, vamos ter que passar por algumas quests. 1 – Labirinto da Neblina, para ter o pingente de acesso à Mora gratuíto, lembrando que a quest Guardiã perdida esta embutida nela. Só precisa de level 99, mas leve um grupo de 5 ou então procure no discord alguém level 150 pra garantia de sucesso (ainda tem gente boa em Rune Midgard para ajudar) https://browiki.org/wiki/Labirinto_da_Neblina https://browiki.org/wiki/Guardiã_Perdida CALMA: se você não conseguir comprar a Semente Misteriosa por um preço acessível, item que te teletransporta para a instância, vá pelo norte de Esplendor caminhando por cima das copas das árvores (tem que subir nesse caule e seguir até o portal circulado no mini-mapa): Obs: se você não conseguir vá para Mora por um dos gatos de teletranporte nos arredores de Ash Vacum, você vai gastar alguns zenys mais de uma vez (55.000 por vez), em idas e vindas mas só até completar as quests abaixo. 2 - Em Mora, sai pelo lado esquerdo, e selecione a opção Arredores de Eclage com o Gato de Teletransporte. Faça só o começo dessa quest, não se preocupe, não precisa dos itens exigidos, só garantir que esteja dentro da cidade: https://browiki.org/wiki/Garoto_Sonhador 3 - Agora você fará a quest que te dará acesso ao pó de fada, que te teletransportará direto na sala onde esta o rei Jun Kardui: https://browiki.org/wiki/Rumores_do_Rei CALMA: Antes de prosseguir nas missões de coleta você precisará falar com alguns NPCs que falarão um dialeto incompreensível, não se preocupe, equipe o Anel do Rei Sábio que se obtém gratuítamente na quest: https://browiki.org/wiki/Anel_do_Rei_Sábio Lembrando que você precisará de 2 moedas esplendor para comprar 3 Geléias de Mel de Vagalume e 3 Geléis de Fruta de Pinguicula (um desses itens recebe o nome de Geléia de Mel de Luciola, mas pode comprar sem medo que é ele que você precisa). É aqui a entrada da loja se o comando navi não funcionar: Ah! você precisará também de 5 Chifre de Leão da Montanha 5 Chifres Místicos e 5 Ferraduras, por isso eu recomendo essa quest: (https://browiki.org/wiki/O_Mensageiro) Ela te dará moedas Manuk e moedas Esplendor, além de que você vai cruzar várias vezes pelo mapa onde dropa o Chifre de Leão da montanha e o Crifre Místico. As Ferraduras você terá que pegar em Magdun (2ºandar), só ir pra Juno, sair pelo sul, depois direita e entra aqui: Depois vá para o segundo andar que vai encontrar drop de ferradura pelo chão... Se você fez todas as etapas e leu as histórias, PARABÉNS, você conhece o enredo de muito conteúdo de Ragnarok que tem jogador antigo que desconhece. Bom, uma última homenagem ao Clã Prominance, que ajudava jogadores como eu em quests e instâncias, e que encerrou as suas atividades em 13 de Julho de 2021. Um abraço a King Fux, Lord Uru e Dantrev Merch, em breve tenho certeza que nos reencontraremos!
  6. Então colega, acredito que sua amostra esteja correta e conduz às conclusões que você expôs. Vou compartilhar um pouco da minha história e agregar algumas outras pessoas nos moldes de suas três perguntas. Fui o cavaleiro mais ingênuo que você poça ter imaginado, não jogava desde 2007, e resolvi voltar a jogar em julho de 2020 (pandemia, quarentena, enfim já entenderam pq voltei né) sem consultar nenhum tutorial ou dicas. Só fui descobrir o grupo do éden pelo level 40, e só fui seguir a rota de up em grupo pelo level 60. Fui conhecendo muitas pessoas inesquecíveis, vou falar apenas das que consigo responder às suas três perguntas. Por volta do level 80 conheci Yummmmmmi, 26 anos, gênero feminino, não jogava ragnarok desde 2009, uma doram que conheci em Einbeach, caçando Metaling, fiquei observando ela de longe (doram era uma raça que me intrigava), ela que me notou e me perguntou se queria fazer grupo, por algum motivo ela tava procurando drop de ferros e eu ajudei ela. Ficamos muito tempo buscando placas de ferro usadas para levar ao ferreiro Torhen do Éden, e às vezes inventávamos de ir para algum lugar pegar um drop despretensioso. Começo de agosto o filho dela começou a ter aulas online, e ela me disse que não iria mais logar pois iria dar apoio a filho, parou no level 100 com 1 mês de jogo. (Setembro) Eu, nessa altura cavaleiro rúnico, tava caçando algum amigo para fazer dupla e lembrei que o sul de Izlude tinha sempre gente para bater papo, fui então. Me certificando pelo rodex que estava no mesmo level que eu, falei com um arcebispo, Seraffyh, 17 anos de idade, gênero masculino, jogando há 5 meses ragnarok, assim como eu não curtia rota de pt para up, veio a se tornar minha companhia de jogo por 4 meses seguidos logando quase todo dia (e amigo de whatssap para qualquer outro assunto fora do jogo), como vocês sabem o segundo semestre de 2020 teve logue e ganhe seguido de logue e ganhe, aniversário de ragnarok , caça de lobo do deserto para ganhar visual, evento de brasilis, enfim , fizemos de tudo. Aproveitando que estava tendo Cheffênia, o que valorizava o preço do fruto de yggdrasil no segundo andar do grupo do éden, fomos até Izlude atrás de troca de pontos da arena de batalha por frutos de yggdrasil, lá percebemos que uma musa tava sempre colada em nós, e resolvemos puxar conversa (é eu sei que a sala tem limite de tempo pra concluir mas agente tava repetindo tantas vezes que não faz mal né), conhecemos Sheilinha rag, 20 anos, gênero feminino, tava jogando faz 2 meses, ela era muito meiga, forte e determinada, morava em Fortaleza, há alguns quilômetros de distância de Seraffyh (também do Ceará). Aliás, eu sou de São Paulo capital. Com ingresso dela montamos nosso clã, me arrependi depois, achava que aquela habilidade de clã chamada "Ferimentos de Glória", daria uns pontos de vitalidade para meus amigos (eu entendia que fora dos castelo significaria qualquer mapa de Rune Midgard, é eu sei, bicho ingênuo). Por meio dela adentrou no clã o Dantes Hell, guardião real, temperamento difícil e bastante competitivo, 19 anos, gênero masculino, tava jogando faz 3 meses. Me arrependi de ter feito a quest de Mora (labirinto da neblina) sem usar o discord, eu havia dito para todo mundo me seguir, mas o Dantes num dado momento começou a avançar sem pensar e voltou ao mapa 4, enquanto agente ficou no 49 esperando ele (deu ruim no final). Ainda fizemos piano, memórias de sarah, orc herói, polvo, torre, e umas quests antigas do bro que não dão mais itens valiosos, conhecemos muitas pessoas, mas não lembro de ter perguntado informações pessoais delas, mas um me chamou atenção, eu estava aproveitando que tinham várias pessoas em Alberta pedindo doação, e resolvi abrir minha plaquinha pedindo também (kkk), aparaceu um bioquímico bem diferenciado, com um visual de cabeça de cachorrinho com capacete de futebol americano, TRE\/AS X. , 45 anos de idade, começou a jogar ragnarok logo quando lançou no Brasil e nunca parou de jogar. Ele me deu itens muitos bons que pude aproveitar na construção de outros personagens, e ainda me ofereceu leech (coisa que ele não costumava fazer para deixar claro), mas eu senti que estaria abusando da boa vontade dele e não aceitei, ele só faz personagem bioquímico, já tinha 12 assim, e excluía personagem para dar espaço pra fazer outro bioquímico e começar um ciclo vicioso assim, dizia ser o Gandalf do ragnarok (referência do Senhor dos Anéis jovens que não conhecem, apesar do Barbávore e o Saruman chamarem o personagem de jovem mestre Gandalf, óbvio que eles tinham séculos de idade a mais que ele kkk). TRE\/AS X. jogava solo, até tinha um amigo de jogo, mas que dado o novo emprego que conseguira, não conseguia mais compatibilizar horários com ele. Um dia descobri que eu e Seraffyh não fizemos a quest de renascimento (transclasse, pulamos direto pra 3ª classe), abafa isso gente. Bom, posso fazer umas conclusões até aqui, conheci ainda ptkk1fps , Lovejoy ~. , Ovadoz , e o curas , ZICABOLADAOO, ' Carolzinhaa ¤~ (essa deletou o personagem), Luka-Mensageiro (fui parceiro do clã dele, Like a God), Dave Soul, DLR. $2 (…) - os jovens até 23 anos na maioria experimentam jogar ragnarok por curiosidade, mas priorizam seu tempo e dinheiro no Free Fire e Mobile Legends ou LOL. Gostam de jogar até o level 100, acham legal a proposta do grupo do éden, não querem saber muito de pvp ou woe. Manter eles no jogo requer sempre atualizações e eventos com premiações legais, quando desanimam é difícil de convencer eles de voltarem. - 23 anos a 35 anos com raras exceções já jogaram ragnarok antes do renewal, 1/3 só fica fazendo personagem até o level 99 buscando a sensação de nostagia do passado, 1/3 desiste logo nos personagens iniciais por uma aversão ao renewal, 1/3 vai além do 100, fica no vai e vem, param 1 semanas, meses mas sempre, SEMPRE voltam (aí que eu me enquadro). Meu clã parou as atividades no final de dezembro de 2020, foi uma experiência incrível. Nunca consegui convencer ele de voltar a jogar, atualmente ela tá viciado em Mobile Legends. Eu ainda segui fazendo um sicário, um doram etc. Parei por 3 meses. Bom, VOLTEI A JOGAR. É, agora é minha vez, meu nick atual é Rodileo, gênero masculino, 28 anos. Voltei à minha jornada em 27/05/2021. Mesmo esquema, upar devagar, conhecer pessoas, procurar amigos e uma boa conversa. Conheço BolinhosGP, também 28 anos, jogava na mesma época que eu, tava querendo ser noviço para ajudar a amiga que também iria entrara no jogo (acho que vai dar casamento…). Ensinei pra ele o que era grupo do éden, rota de up... Cansado de upar nos salgueiros, vou ao grupo do éden e encontro Chica Lirou, 23 anos, gênero feminino, arcebispa, tava conhecendo o rag pela primeira vez, quem joga mesmo é o irmão dela, ela só fica logando umas vezes para bater papo, conversamos sobre animais de estimação. Dia seguinte desço as escadas e encontro alguém com chapéu de piupiu igual ao meu, me chama pedindo doação de 1k para teleporte, é Matrinixi, 25 anos, gênero masculino, falei para ele que tava iniciando e nem sequer tinha 1 k em zeny, foi então que ele me doa 80k de zeny e ainda me dá uns itens e uma carta para eu vender (vai entender ? Não era ele que tava precisando de grana?) Ele me incentivou fortemente a desistir do arqueiro, falou das desvantagens de construir um sentinela, e me disse para fazer um doram, que doram era isso e aquilo tal...Pronto entrei no discord do grupo dele, fiz o doram e upamos juntos até o level 22. Ele me explicou que tava com preguiça de pegar zeny com o outro persona e tal, por isso pediu a grana. Infelizmente do grupo dele só ele joga ragnarok e ainda assim nossos horários não coincidiram mais. Tava fazendo alguma quest dos equipes do éden e entrei na caverna de payon, após terminar, fui andando em direção à saída e o mob de morcegos vindo atrás de mim, percebi que um mago e uma noviça tavam na porta e só depois que eu saí percebi a besteira que tinha feito (atraído os monstros pra cima deles). Voltei, derrotei os morcegos e conversei um pouco com os dois, ela CherryBom1995 nunca jogou ragnarok, 25 anos, gênero feminino, ele, Dainslef1984, 37 anos,tava voltando a jogar naquele dia (parou antes do renewal), enviei carta rodex com as rotas de up para eles. Pirinpimpim, atualmente sábio, conheci ontem, fala pouco, mago, fiquei matando orc adoidado com ele, me senti no Senhor do Anéis viu (não tinha pt naquele horário, então ficou só eu e ele), voltou a jogar ragnarok esse ano. Não sei a idade dele (conheci ontem), só que ele é das antigas (credo, me sinto velho dizendo isso), e estranhou a existência do grupo do éden inicialmente. Bom é isso Elpaipai, vou seguindo minhas reportagens e upando por diversão meu arqueiro e meu doram chamado Rodrik Mob. Ainda estou indeciso por um ou por outro. Até mais.
  7. @Nerdoz Considerando que você falou em "vocês" no plural então volta a estudar tá? (vai ler lá em cima sua primeira publicação) Aliás, não me dói nada responder a pessoas da tua índole, tivesses sido educado em vez de vomitar sua fúria nessa e outras postagens, tudo bem, mas pode postar o que quiseres, você não disse que esse espaço é para falar de outras coisas? Então, fica discutindo aí sobre o que lhe agrada, se são pés o teu gosto, então espere outros com mesmo gosto continuarem a conversar contigo sobre esse sei lá, fetiche, exibicionismo, sarcasmo, enfim, não sei o que te representa. Em tempo, obrigado por ter achado engraçada a minha resposta, eu percebi que você tem gosto duvidoso, carente de conversar mais? Que pena, não gosto de falar de pés masculinos. Abraços.
  8. Bom, enfim, a pergunta esta devidamente respondida e quem quiser acrescentar algo que possa ajudar nosso colega a encontrar os produtos sinta-se a vontade, pois acredito eu que esse post continuará aqui nessa área sim. Quem se incomodar abra ticket ou qualquer coisa que o valha para retirar, contate os adm, etc, seja criativo. Abraços.
  9. Nota inicial: Antes de começar a leitura, eu fiz umas observações importantes sobre o futuro dessa história ao final, depois deem uma lida. Boa leitura! Aventuras num presente em transição...parte4: Tabu Dantes estava pasmo, segurava aquele poring com as duas mãos, rodeando ele, procurando… - Como pode? Sua boca é maior que metade do seu corpo, para onde vai a comida? Alguns minutos antes, aquele bichinho estava de tocaia abaixo de uma pilha de livros, esperando a aproximação do guardião real; um, dois, três passos, uma parada para pegar um caderno roxo. Poring se enfurece, aquela coisa retangular e roxa era feia, e no seu inocente entendimento, eles deveriam brincar com ele e não ficar parados horas olhando coisas que não se mexiam. Num salto que faz voar alguns livros em Dantes, Poring engole o caderno de I. Gaebold, de uma só vez. Dantes o levanta, sem entender nada. - Dá ele aqui! (Disse Seraffyh, que acordou com o barulho) - Toma, você tem luvas? (Pergunta Dantes) - Luvas? Tem algum artefato por aqui? (Disse Seraffyh) - Aff esquece bicho! Quando ele for fazer cocô me chama! (Dantes se irrita) -Eu não sou bicho! E que droga é essa deu ter de vigiar cocô? Eu nunca vi eles fazerem cocô! (Disse Seraffyh) Seraffyh faz um carinho em Poring e volta a sentar-se; em Prontera ele alimentava os da redondeza, mas questão de fezes não. Acreditava até que de noite os percevejos do norte cuidavam das sujeirinhas deixadas nos arredores de Prontera. O jovem arcebispo pula os olhos do tomo 3 ao 10. Pela janela, dava para ver uma chuva fina cair, era noite. - Ei Dante, já que agente não descansou ontem que tal ficarmos aqui essa noite? (Disse Seraffyh) - Não fala comigo, só porque eu deixei que viesse comigo não significa que eu vou ficar de conversinha contigo. As pessoas se esbarram e se cumprimentam mas isso não significa que elas tem obrigação de se falar. E é noite só aqui, você ainda não entendeu? (Disse Dantes) Seraffyh ignora a fala do colega e retira sua batina, ficando com uma camisa fina e ceroulas. - Quê?! (Se incomoda Dantes) - Não quer falar comigo então não me olhes também! (Disse Seraffyh) Ele deita no tapete, usando dois livros e sua veste dobrada como travesseiro. Pega um livreto no chão e abre...desenhos, umas anotações feitas manualmente...dava para dar sono. “Seismic Isminsul é um lugar que sustentava a barreira entre nosso mundo e o dos deuses e demônios. Nos livramos de Jester e do General Darius, e abrimos a passagem, impressionante o número de demônios fracos que aniquilamos, já Ela foi mais difícil de transportar do que Ele. O processo deu errado e os transportamos para nosso QG, mas Ela está fraca e facilmente pode ser abatida. Não fazia ideia de onde ficava a península de Grants Ritter ou Granslitter, esse povo fala enrolado, mas é o primeiro registro mais bem detalhado depois da Guerra, e com apenas duas nações vivendo em conflito, não foi difícil encontrar.”*1 “O símbolo me agrada, mas o poder é fraco. Como símbolo que se contrapõe às cores antiquadas da monarquia pode vir a servir, se vocês anuírem é claro.” *2 Um estrondo interrompe a leitura de Seraffyh, que veste com pressa sua batina enquanto Dantes corre para fora da biblioteca. O som não era de um trovão, a chuva ainda respingava, mas não havia sinais de raios ou clarões de trovões. Um novo estrondo, mais longo, cerca de 30 segundos de duração. Dantes fecha os olhos, mas de norte a sul, leste a oeste, ele não conseguia identificar onde era mais intenso. - Vem do céu ou lá de baixo? Eu vou me molhar todo aqui! (Disse Seraffyh, cobrindo a cabeça com uma enciclopédia aberta) Dantes decide por voar com seu Grifo para fora da cidade, para assim ter uma visão do todo. O Grifo inicialmente resiste a abrir asas naquele chuvisco, mas os dois seguem. Seraffyh fica aguardando voltarem. -Cadê a lua? (Pergunta Seraffyh) Algo se entremostra entre as nuvens, mas estava muito escuro, parecia amarelo e vermelho, além disso, era uma parte só do corpo, que conforme o movimento das nuvens mostrava que percorria o céu de ponta a ponta, sumindo no horizonte. Seraffyh larga a enciclopédia encharcada de água no chão e eleva as mãos para o céu: “Glória!” Todo o céu se ilumina, e os sinos tocam fortemente, a habilidade foi amplificada de forma que Seraffyh não entendia o que estava acontecendo. Agora dava para ver que a coisa tinha escamas grossas, mas com queimaduras, estava machucada. Sua cauda surge, tinha três pontas, mas desaparece novamente com o percorrer dela no céu, era colossal seu tamanho. Dantes consegue enfim sair da cidade flutuante, e atinge um ponto de distância que poderia vê-la do todo. O Grifo estava exausto e a chuva não parava. - Que droga de escuridão! (Disse Dantes) Uma iluminação forte perto da cidade é vista, que se soma a um clarear da rocha vindo da brecha de umas nuvens, permitindo que duas luas iluminassem o suficiente para Dantes de surpreender: uma volta, duas e três, o corpo de uma serpente enlaçava a cidade, tentando comprimi-la, como se quisesse rachar a cidade. Dantes via aquela cena com um certo encantamento, e logo a serpente também nota sua presença, aproximando a cabeça do guardião real. O formato triangular de sua boca, a desproporção de tamanho, olhos rubi, e um desenho de “S” na testa, tudo era fascinante para Dantes. A serpente estica a cabeça, que logo alcança-o. Uma voz surge em sua mente: - Por onde entrastes? (…) - Hã? Você é Jormun… (Disse Dantes) A serpente abre devagar sua boca, e um hálito entorpecente é sentido, Dantes fecha os olhos e uma imagem toma sua mente. Ele via sua armadura reluzindo como ouro, e as penas de seu grifo longas e douradas, a boca da serpente estaria abarrotada de peças valiosas, entre jóias e equipamentos valiosos, mas ao abrir os olhos tudo some, não era real. - Um lugar ao lado de minha irmã, a morte, para que toda a carnificina esteja ao seu comando. (…) - O que você quer? (Disse Dantes) - Aquele anjo tem de me liberar. (…) - Anjo? Meu amigo tem nome de anjo...(Disse Dantes) Seraffyh cansa de esperar o colega, ao virar-se de volta à biblioteca, Poring estava em cima de um caderno roxo. O jovem pega o objeto todo babado. -Você colocou isso na boca Poring? Aliás, tenho que te dar um nome. (Disse Seraffyh) Um raio desce. Folheando algumas páginas ele vê o desenho da rocha que sustentava a cidade de Juno num corte sagital, podendo ver que no centro havia um cano longo de cima a baixo, algumas engrenagens no piso da biblioteca...algumas coisas que não sabia dar nome. Ele acaba por ler as mesmas páginas que Dantes havia parado. - Ei Fifi! (Dantes surge) Fifi? Dantes estava apelidando ele? O guardião real desce com seu Grifo, que estava com o pescoço torto e os olhos cerrados. - Dantes! Seu Grifo não esta bem! (Seraffyh corre e segura a cabeça do pobre bichinho) “Epiclesis!” Serafyh põe as duas mãos no chão, por onde emerge o espírito de uma árvore ancestral, revigorando tudo ao redor, mas Grifo, parentando despertar de sua condição, abre as asas e salta voo, derrubando Dantes e Seraffyh. - Vamos entrar, a chuva vai engrossar, logo ele volta. (Disse Dantes) - Mas...(Seraffyh) O arcebispo corre para dentro da biblioteca, iria até falar do monstro gigante no céu, mas lembrou que Dantes saiu pelo céu de Juno, portanto, ele esperaria a manifestação dele, pois, com certeza o colega teria visto o mesmo. - Sabe me dizer onde esta o livro de Ymir? Oh, que livreto é esse que você estava lendo? (Dantes abre e folheia) - Bem engenhosos né? Eles queriam extrair 90 % do poder da serpente usando a tecnologia antiga, foi por isso que Odin não abençoou os homens para usarem esses recursos. (Dantes) - Mas isso esta escrito aí? (Seraffyh) - Subentende-se pelas imagens, você não leu ele todo amigo? (Dantes) - Humm, amigo né… que mais diz aí Dantes, quem seriam eles? (Seraffyh) - Ah, é, eles não diz, mas não parece ser um monólogo, a escrita é dirigida para outras pessoas, e...fala aqui eles utilizaram um modelo aprimorado do MA-4885. (Dantes) - O que é isso? (Seraffyh) - É a tecnologia antiga que te falei. (Dantes) - Antiga...certo. Dantes, sabe uma coisa que eu li num caderno roxo? (Seraffyh) - Ah, o Poring te deu? Que bom que ele não mastigou as folhas. (Dantes) - É, o final do caderno descreve de forma minuciosa o funcionamento de um dispositivo, atrás desse quadro aqui, na parede, há um painel com a imagem de uma mão, e se um arcebispo usar a biblioteca é envolvida numa proteção baseada na Kyrie Eleyson, suportando por 30 minutos qualquer interferência externa. (Seraffyh) De lá fora era possível ouvir os grunhidos do Grifo, cada vez mais desesperado. - Ei, me ajuda a achar aquele livro que te falei. (Dantes) - Esta bem aqui. (Disse Seraffyh. O livro de Ymir estava ao lado de Seraffyh, em cima da beirada de uma chaminé, e o arcebispo segurava uma alavanca ao lado com uma mão, enquanto outra estva no painel mencionado, na parede) - Quando essa coisa morrer você voltará ao normal espero. (Disse Seraffyh puxando a alavanca) - Grrr (Dantes) Um disparo rápido e continuo cruza à velocidade da luz toda a profundidade da cidade, alcançando o abismo no continente. Não demora muito para os gases subirem e se expandirem, e ainda, o contato com a energia gerada faz com que o ar entre em combustão. O Grifo, ao sentir o perigo, entra pela janela da biblioteca, que se distorce como num holograma, e pula em cima de seu tutor, Dantes é empurrado e bate a cabeça ao chão, ficando preso com o Grifo por cima. -AAAAaaaaaaaaaaaaaaa!!! (desconhecido) Pela janela, o jovem arcebispo tentava enxergar algo naquele céu de fogo, mas só ouvia uma voz humana em agonia, e logo desconfia se não se tratava de alguma artimanha. Quando só o barulho das labaredas de fogo era audível, ele solta a alavanca, fazendo cessar o jato de energia, mas ainda assim, aquele ar em combustão demoraria a dispersar. Vinte minutos passam, mas cada segundo era uma batida dolorida no seu coração. No continente as águas do oceano novamente penetravam no abismo, e tornados se formavam, aquela chuva havia se intensificado, e o som do vento vindo da tempestade logo é escutado. O cenário era apocalíptico. Seraffyh olha para Dantes, desacordado. Provavelmente já se podia respirar lá fora, a visibilidade havia melhorado. Ele puxa o Grifo, que solta Dantes, a barreira protetora estava falhando e logo acabaria. O arcebispo se dirige ao meio da cidade e monta no Grifo, os dois seguem voo junto ao rumo do vento, saindo da cidade. A visibilidade começa a ficar difícil por outros motivos, o vento fazia com que os olhos se fechassem; após percorrer grande parte da rocha, eles finalmente encontram o que seria a calda da criatura. - Dizem que é na calda o coração de uma serpente, Grifo me ajude a me manter firme montado! (Disse Seraffyh, o vento não dava trégua, e foi necessário se aproximar mais) Umas das três pontas da cauda gira em direção aos dois, uma bola de fogo é lançada para surpresa de ambos, que conseguem desviar. Seraffyh agora vê olhos e boca em cada uma das três pontas, que sincronizadamente lançam bolas de fogo nos dois, as quais tem sua trajetória mudada graças ao vento, facilitando os movimentos do Grifo. A cabeça da serpente não demora a aparecer, cuspindo uma chama negra sobre os dois, porém, Grifo voa por cima do ataque e sobre a cabeça dela, que por sua vez, se contorce para dar o bote nos dois, emborcando sua boca sobre eles. O jovem arcebispo envolve os dois numa Kyrie Eleison expansiva, e o círculo impede o fechamento da boca do monstro. - Energias dos nove planetas, concedam a mim poder para expurgar o mal onde quer que ele exista, MAGNUM EXORCIMUS!!! (Seraffyh põe as mãos nas costas do Grifo, que abre suas asas o máximo possível, reluzindo uma luz divina que necrosa boca, garganta e toda a parte interna da serpente) A criatura agora estava pálida, perdendo de vez o resto de beleza que tinha. Aos poucos a cabeça cai, levando todo o corpo em direção ao abismo. Uma voz na cabeça do arcebispo surge. - A maioria dos que atentam contra um deus ou são abençoados com a glória ou amaldiçoados com um fardo. A vós, meu libertador, que escolhestes ter-me como seu guardião, só tenho a agradecer. Vamos? (…) - Hã? Vamos? Mas você esta morren...(Seraffyh nem termina de falar e o corpo da serpente já desapareceu nas profundezas) Parado por alguns minutos, pensando nas últimas palavras que compreendeu, o Grifo por conta própria começa a retornar para a cidade, e em busca de seu tutor, Dantes já esperava-os na beira da rocha, havia tentado observar o que pode lá de cima. - Cara que incrível, que golpe! (Dantes) - Eu acho que fiz besteira, eu exorcizei ele. (Seraffyh) - Ha, então o espírito dele foi direto para o outro mundo cara, acabou! (Dantes) - Mas eu nem sei que mundo estamos, e se a alma dele estiver por aí? (Seraffyh) - Olha, tem vários livros por aqui, algum pode explicar esse lugar, podemos ficar o tempo que for Fifi! (Dantes) - Fifi? Não, gosto mais do meu nome. (Seraffyh) - Ah, vamos lá, Digo e Sheilinha são nomes carinhosos, mas não são os nomes reais deles. (Dantes) - Olha, para quê tudo isso agora? (Seraffyh) - Seraffyh, vou ser curto e reto, eu me deixei levar por minha fraqueza, desonrei os valores dos templários e nem mereceria ser chamado de Guardião Real, mas em nome da honra dos meus antepassados eu tenho de pagar minha dívida contigo, e minha vida agora será dedicada a ser seu guardião. Seraffyh até que gostaria de ter uma companhia ao seu lado, mas aquela história de dívida de vida soava muito mal, eram costumes muito antigos e em desuso. Precisava ter a certeza da sinceridade de Dantes. - Vamos para a biblioteca? (Dantes) - Para? (Seraffyh) - Você precisa absorver um grande volume de informações para levarmos ao nosso tempo. Primeiro quem queria absorver o poder daquele monstro. (Dantes) - Você se lembra de ter lido isso é? (Seraffyh) - Aquele livreto estava em cima da minha cara quando eu acordei. (Dantes) O arcebispo diminui o passo deixando Dantes avançar pouco mais que ele. - Dantes! Vire-se e erga sua lança! (Seraffyh) - O quê? Ei, tá em posição de combate por quê? (Dantes) - Eu vou corrigir meu erro Dantes, vou fazer você voltar! (Seraffyh) - Cara você ouviu o que falou? Você tá apaixonado por mim ou piradinho? (Dantes) - Guardiões de Asgard, Odin, condeda a energia necessária para pulverizar o mal que habita esse pobre servo seu, MAGMUS EXORCIMUS!!! (Seraffyh) - Seu *#@%& @! ¨#@%!!!!!!!!!!!!!!! (Dantes) Por óbvio Dantes não era um fantasma, mas o impacto do golpe faz ele voar longe, até que o Grifo vendo aquilo como uma brincadeira resolve aparar o tutor no ar. Ao pousarem, Poring os aguardava, e tão logo morde a calda do Grifo, e não iria soltar tão cedo. - JUDEX!!! (Seraffyh invoca outra habilidade especial) Dantes olha ao céu, vendo as nuvens se formarem acima de sua cabeça, mas tão logo arremessa seu escudo acima. “ESCUDO BUMERANGUE”, os raios são atraídos ao escudo, enquanto Dantes corre até o arcebispo, que não consegue a tempo se envolver numa Kyrie Eleison, pois Dantes pula por cima dele. - Agora me ouve, você usou sua habilidade em cima de mim e eu continuo consciente não? (Dantes) - Hum (Seraffyh) - Olha Fifi agente não se conhece, eu não tenho meios para provar que eu sou eu, vai ter de confiar. (Dantes) - Hummm (Seraffyh) - Eu vou te soltar agora. (Dantes sai de cima do jovem arcebispo, que também não vê nenhuma pergunta que possa ajudar a saber a verdade) - Dantes eu não tenho tempo para ler mais nada, vamos levar o que aguentarmos e voltar para Prontera. Por onde viemos? (Seraffyh) - Aquelas nuvens pelas quais passamos continuam lá, devem ser uma camuflagem, ficam imóveis. (Dantes) - Então vamos! (Seraffyh) - Ah espera, tem de manter tudo o que ocorreu em segredo. (Dantes) - Por quê? - Você enfrentou em deus, muitos aventureiros tentarão lutar contigo pela glória de derrotar você, e sua imagem na igreja será mais louvada que a do próprio sumo pontífice, isso pode te atrair problemas. (Dantes) - Que raciocínio Dantes, é mesmo você? (Seraffyh) - Menos problemas pra você é igual a menos problemas para mim, já que eu vou te acompanhar. (Dantes) Após selecionarem o caderno roxo, o livreto e 3 tomos daquela coleção de livros, eles partem com Poring de volta. (…) Prontera, momentos presentes: Sheilinha e Digo desembarcam em Izlude, junto a muitas pessoas; sem pressa eles caminham até Prontera, os arredores estavam lotados de porings brincando com aprendizes. Passando pelo portão sul de entrada, observam que aquilo tudo ficaria impossível de caminhar. - Poxa, os mercadores farão altos lucros hoje. (Sheilinha) - Eu tô reconhecendo gente de Arunafeltz e de Morroc também, deve estar acontecendo algo. (Digo) Os dois se separam, a musa vai até o Palácio Real tratar com a Rainha Gaebold, e o lord até a Ordem dos Cavaleiros. O sol estava forte, e a multidão aumentava mais a sensação térmica. No palácio, autoridades de todas as partes corriam de lá para cá, Sheilinha se dirige aos aposentos reais, um guarda que impedia a entrada de todos a deixa passar após reconhecê-la, gerando alvoroço por parte dos que não receberam mesmo tratamento. - Com licença minha rainha, tenho algo importante a relatar. (Sheilinha) - Minha amiga é você? Soube da missão que o sumo pontífice te incumbiu, o que houve? (rainha) Sheilinha explicou todo o ocorrido, desde a partida da comitiva de Prontera à Geffen, a luta na torre, a ordem dada por Catherine...A rainha tinha-a como de confiança, eram amigas de infância, e agora ciente dos detalhes da missão dada acreditou em tudo o que foi dito. - Tome, essa é a lista dos clãs que me servem, outras famílias reais podem ajudar com os seus. (rainha) - Deixa eu ver, Loris Team, Vanpetta, Stiker team, Adoradores, Guardiões da Andrômeda, Ouvai Ouracha WOE, REC*, Cavaleiros do Imperium, Mustafá, Real Ragnarok, App Park. Nomes moderninhos não? (Sheilinha) *3 - Sheilinha, seu apelido é moderninho não? (rainha) - Ah sim, é verdade. (Sheilinha) Digo entra na Guilda dos Cavaleiros, havia uma reunião importante ocorrendo. Ele se desculpa e pede que todos escutem com atenção. (…) - Digo, aqui esta a lista de clãs guerreiros que assim como você não evoluíram para as terceiras classes, mas são habilidosos e por isso não podem ser subestimados. (chefe) - Deixa eu ver, hã? (Digo) - Que foi Digo? Esperava algo clássico? O que importa é o valor dos soldados. (chefe) - É bem… Alberga dos States of America, Smile Force, Will Bee Gees, Forever Young, (ILEGÍGEL), (ILEGÍVEL), Blue Eyes White Dragon, Cuba Island, Pluto is the Best. Parecem mais bandas musicais, mas enfim… (Digo) *4 Enquanto isso, no salão real, várias conversas de menor importância eram tratadas. - Decidimos elevar Juno para ficar bem mais acima do continente, a única forma de sermos atacados será via aérea. (t) - Em Payon alguns de nós notamos que a caverna lendária foi esvaziada, algo inimaginável em séculos, Flor do Luar desapareceu. (x) - Morroc começou a chover torrencialmente, só há precedentes disso antes da batalha responsável pela desertificação por lá. (y) - Em vez de Roweens amanhecemos sem nenhum monstro entre o aeroplano e Arunafeltz, isso seria ótimo para o comércio e turismo, não fosse estranho. (w) - Acredito que a monarquia centrada em Prontera dificulta a defesa nas demais regiões, cada uma tem uma especialidade, bruxos de um lado, mercenários noutro, espadachins em Izlude, seria muito fácil para um inimigo estudar as fraquezas e organizar um ataque. (d) - E o que isso tem haver com a monarquia? (e) - Quem decidiu os lugares em que haveria a divisão de treinamento de classes? (d) - Isso foi um processo histórico e a monarquia respeitou e manteve assim (e) - Manteve para nossa desgraça! Já que nada entende de guerra externa, só fica endossando essas olimpíadas chamadas de Guerra do Emperium. Uma bobagem. (d) - Da sua jurisdição também há guerreiros que participam dela não? Quer voltar aos tempos antigos, com rebeliões internas, saques, sacrifício de populações e guerra civil? Superamos esse tempo. (e) (…) 7 horas depois, praça de Prontera: Digo e Sheilinha estão sentados à beira de uma fonte d’água, estavam exaustos, ambos haviam entrado no salão principal do Palácio Real e ficaram no meio de uma discussão infindável. Desistiram de contatar as demais famílias reais e foram embora. Digo se joga para trás e mergulha na fonte. - Ficou doido? (Sheilinha) - Estou precisando me refrescar, nunca pensei que teria de comandar clãs. Meu irmão Dantes teria mais pulso para isso. (Digo) - Nada, quando eu namorei com ele eu que decidia tudo. (Sheilinha morde uma maça) - Você vivia me comparando com ele quando agente namorava, mas não havia me dito nada disso. (Digo) - Eu sempre te coloquei pra cima né, acho que tava implícito isso também. (Sheilinha dá uma bela bocada na maça, parecia que ia engolir tudo de uma só vez) Ambos são interrompidos por um bioquímico à frente, sua vestimenta parecia tão impecável como se tivesse acabado de ser aprovado no teste de classe, ele usava um broche na gola no formato de uma cobra enrolada num bastão, nas cores vermelha e amarela. Na cabeça uma máscara no formato de um cachorro. - Ouçam, ouçam, meu nome é Trevas X de Alfhem, esse aqui é meu amigo Uhtread de Svartalfheim, vamos realizar uma peça teatral para dar uma animada no povo daqui, mas precisamos de ajuda de mais algumas pessoas para participar. (final da parte 4, continua...) Notas: - Minhas aulas começam essa semana eu vou postar com maior intervalo de tempo. - Estive pensando em postar a história em outro portal de fanfics que tenha maior movimento que o fórum, mas vou ter de adaptá-la. Se eu esquecer de postar aqui e algum leitor sentir falta é só mandar mensagem. - A primeira imagem é do jogo Ragnarok Tatics para PSP (não confundir com o jogo atual do ragnarok tatics), a segunda é da data-base do Ragnarok. - O nome dos clãs foi inspirado na lista de vencedores da WOE 1 e WOE 3 do mês de janeiro de 2021. - O nome de todos os personagens podem parecer estranhos para um ambiente inspirado na terra média, mas é porque cada um se refere a algum amigo ou personagem que encontrei ao longo de minha jornada no Ragnarok Online. - Meus amigos, obrigado até aqui, não sei se tive leitores além dos amigos que introduzi nessa história, mas agradeço aos que acompanharam. Ainda voltarei a jogar com todos vocês. Abraços.
  10. E aí já dá pra compartilhar a one shot conosco? Deve ficar legal com tanta informação que tem nessa data-base.
  11. Contate o Nerd Ao Cubo, ou mande mensagem pelo site, talvez eles aceitem encomenda de confecção de produtos, pois ano passado eles fabricaram uma caixa com alguns produtos do ragnarok online. Abaixo imagem do site do facebook do ragnarok online.
×
×
  • Create New...

Important Information